Levanta, o futuro é logo ali!

O Futuro é assustador…

Nosso passado nos revela muito do que somos no presente. Muitas histórias, alegrias, tristezas, traumas, superações, enfim, todo tipo de experiências vividas no tempo anterior a este é, de certa forma, um mar seguro por onde podemos navegar, já que o conhecemos bem.

Mas o futuro… Ah! O Futuro assusta. O que virá daqui a cinco minutos? Um dia? Um ano? Vinte anos?

Eu não sei! Você não sabe! Ninguém sabe, somente Deus!

Deve ser por isso que temos tanta dificuldade de dar um passo à frente na vida. Deve ser por isso que, por muitas vezes, nos prendemos às amarras do passado, nos acorrentamos nas prisões longínquas de nossas más e boas lembranças.

“Só você pode dar um simples passo de cada vez”

Como a criança que está aprendendo a andar, observa tudo ao seu redor imaginando que a lâmpada no teto pode ser tocada pelos seus dedos, assim muitas vezes imaginamos que nossos sonhos estão sempre tão perto de nós. A criança, porém, ao tentar tocar o objeto distante, cai. A queda faz com que seu cérebro compreenda a verdadeira distância das coisas.

Hoje somos impelidos ao reconhecimento de nossas quedas. De nossas fraquezas. De nossos limites. Só assim conseguiremos dar um passo concreto em direção ao tão temível futuro…

Quando pequeno, eu costumava cair muito. Vivia de joelhos ralados. Mas ele vinha me levantar. Seus cabelos indicando sinal de calvice. Suas negras mãos estendidas prontamente pra que eu firmasse os pés no chão. O abraço e o conforto. O humor que me fazia esquecer a dor da queda. E o aprendizado que me vinha depois de me levantar. Esse é meu pai.

O Pai do céu quer te levantar hoje. Se inclina até você e estende os braços. Enxuga suas lágrimas. Sorri. E diz: “Coragem! Estou com você, não tenha medo!”

“Amanhã será um novo dia”

A Lágrima e a Flor

Lágrima e Flor

A tristeza da noite
Dissipou-se pela luz clara do amanhecer.

Porém, hoje, acordei diferente:

Pela manhã uma lágrima me visitou
Percorreu uma grande altura
E no mais profundo chegou

Tocou na sensível terra
Numa mira que não erra
Fez brotar tão simples flor

Ao se encerrar a noite
No escuro do incerto
Um jardim nasce bem quieto

Com a lágrima do dia
Construído a céu aberto

Silenciosa energia
Faz crescer no eu mais íntimo
Uma rosa de esperança

A lágrima da manhã
Regou a terra adubada pelo escuro do anoitecer

E fez-se a flor.

A Vida em Roteiros

Dos que encontramos em nosso caminho, uns ficam, outros passam. Uns permanecem interiorizados, outros nem se quer reconhecemos ao reencontrar.

Dos que passam, resta a lembrança e a saudade. Não é ruim ter saudade “Só se tem saudade do que é bom, se chorei de saudade não foi por fraqueza, foi por que eu amei.” (Nelsinho Corrêa).

A saudade revela o que de bom um dia possuímos e nos deixou rastros de luz. Talvez você tenha desejado que sua vida seja como no filme que tem assistido: com um toque no botão de um controle, pode-se retornar àquela exata cena. Ora, pelas lembranças podemos fazer essa experiência sempre que quisermos. No entanto, o que se registra pelas câmeras, uma vez publicado e vendido, não se altera.

Resta então uma solução: mudar o rumo do que ainda não foi gravado. Para isso é necessário ‘rebobinar’ diversas vezes o conteúdo para analisar e então aumentar as chances de obter acertos.

Não importa o que você fez, Deus te dá, a cada dia, uma folha em branco, o roteiro de sua vida, deste ponto em diante, quem escreve é você.